http://basquiat.com/

E dizer que um dia, no limiar dos anos oitenta, o artista nova-iorquino Jean-Michel Basquiat (1960-1988) chegou em casa exaltadíssimo, pois tinha vendido um quadro de sua autoria para a vocalista da banda Blondie, a loira Debbie Harry, pela quantia de U$ 200,00. Bom lembrar que também nessa época ele namorou a então desconhecida cantora Madona. Contam que depois da fama, ela nunca mais falou com ele.

No entanto, no mês passado uma pintura deste mesmo artista atingiu um recorde ao ser vendida por U$ 110,5 milhões em um leilão da casa Sotheby’s em Nova York. É o primeiro que aparece neste SLIDESHOW: http://www.sothebys.com/en/news-video/slideshows/2017/basquiat-reigns-supreme-evening-sale.html

Quem estiver em Porto Alegre, pode conhecer a obra deste pintor que morreu tão jovem, pois está sendo exposto um quadro seu, sem título, na Galeria Duque (Rua Duque de Caxias, 649).

Para saber muito mais, o documentário “Jean Michel Basquiat ‘Shooting Star” da MTV:

Ou, “Jean Michel Basquiat… The Radiant Child” de 2010:

Ou, ainda, o filme de 1996, “Basquiat, Traços de Uma Vida”:

Neste último, tem David Bowie no papel de Andy Warhol: http://www.imdb.com.br/title/tt0115632/?ref_=fn_al_tt_1.

MÚSICA DA SEMANA

Todos os episódios da terceira temporada do seriado Twin Peaks tem encerrado com um número musical. No quarto episódio tocou aquela banda formada por três tecladistas Au Revoir Simone, com a canção “Lark”:

 ou Igualmente bela é a “Somebody Who”:

Bom som!

CENAS DO PRÓXIMO CAPÍTULO (COMING SOON)

Na próxima edição do Infocult serão tratados os seguintes temas: a) comemoraremos, foi no dia 25 de maio, os 63 anos da morte do grande fotógrafo de guerra Robert Capa (1913-1954), morto na Guerra da Indochina (pisou numa mina), aos 40 anos; b) da mesma forma, cantaremos parabéns para o álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, que no dia 1º de junho completou 50 anos. Até Jimi Hendrix tocou a música Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band:

c) folharemos as 17 capas da revista Rolling Stones estampadas pelo músico Bob Dylan: http://rollingstone.uol.com.br/galeria/bob-dylan-atraves-das-decadas-16-capas-da-irolling-stone-euai-estampadas-pelo-musico-aniversariante/#imagem0; e d) iniciaremos a leitura de um livro que me foi indicado por uma colega, “Tentativas de Fazer Algo da Vida” de Hendrik Groen. O livro trata da velhice e da sociedade holandesa. Mais informações relevantes: http://www.listasliterarias.com/2017/01/10-consideracoes-sobre-tentativas-de.html. Ou, no blog do Professor Aguinaldo Médici Severino: http://guinamedici.blogspot.com.br/search/label/Hendrik%20Groen

CITANDO E RECITANDO

Alguns anos atrás, três dos homens mais poderosos do mundo estiveram praticamente ao mesmo tempo nas manchetes: Boris Yeltsin estava bêbado demais pra descer a escada de um avião, o papa João Paulo não podia nem mais dizer ‘obrigado pelas flores’ sem cair no sono, e Bill Clinton pôs seu charuto na caixinha da estagiária.

(do livro “Tentativas de Fazer Algo da Vida”, Hendrik Groen, editora Tusquets)

É típico que a droga de pobre seja fumo e a da burguesia, pó. Não é apenas a diferença de preço. É condicionamento de classe. O fumo prostra os já prostrados. Pó faz subir a consciência dos conscientes, dos habituados ao comando, ao serviço do próximo.

(do livro “Cabeça de Papel”, um romance de Paulo Francis)

Os textos publicados não refletem necessariamente a opinião da AJUFERGS. O blog é um meio de convergência de ideias e está aberto para receber as mais diversas vertentes. As opiniões contidas neste blog são de exclusiva responsabilidade de seus autores.