Ficha Técnica:
Autor: Héctor Abad Faciolince
Título Original: El olvido que seremos.
Tradução: Sérgio Molino
Cia das Letras, 2011. São Paulo.
Biografia ficcional, realismo sentimental, relações familiares, amor, esquecimento, Sec. XX.

download

O autor é colombiano, jornalista e filho do médico sanitarista Héctor Abad Gomez (1921-1987), morto por grupo terrorista em Medellín, Colômbia, no momento em que se dirigia ao velório de outra vítima da violência. Quando foi morto, tinha no bolso versos de Jorge Luís Borges, “Ya somos el olvido”. O assassinato nunca foi esclarecido ou seriamente investigado. Defensor dos direitos humanos e de medidas sanitárias básicas, como saneamento básico para a população, lutou contra a violência que não era combatida pelo Estado. Desvenda-se uma relação pai e filho muito intensa, é retrato, mas também inspiração para os pais que apóiam e apostam nos filhos, mesmo contra todas as evidências.

Uma narrativa sensível. Todas as presenças da nossa infância, juventude, nossos pais, irmãos e avós, estão a caminho de desaparecer. O poema de Borges foi inscrito na tumba do pai do autor, no cemitério de Fuentespaldas “ya somos el olvido que seremos. El polvo elemental que nos ignora y que fue el rojo Adán y que es ahora todos los hombres, y que no veremos”…”um amor imenso e incondicional. O relato escrito para guardar na memória. Tocante, o esforço do filho para não perder a memória do pai, e ter nela abrigo e tutoria, mesmo na ausência

Os textos publicados não refletem necessariamente a opinião da AJUFERGS. O blog é um meio de convergência de ideias e está aberto para receber as mais diversas vertentes. As opiniões contidas neste blog são de exclusiva responsabilidade de seus autores.